Badu's caos!

Just another WordPress.com weblog

Reinventando julho 19, 2012

Filed under: Uncategorized — Manu Parise @ 3:44 pm

A pessoa que hoje escreve, por certo é a mesma de outrora, um pouco machucada pelos tombos, um pouco mais calejada pelos desaforos e completamente madura para me tornar o exemplo que eu preciso ser para a minha filha.

Em seguida veio a deliciosa noticia e jornada que eu brevemente relatei por aqui, a da gravidez. Que momento mágico – não fossem pelas noites sem dormir depois e o aperto no orçamento da família, eu poderia ter uns 20 filhos!

E nasceu a princesa, uma linda menina, arteira que beira seu primeiro ano de vida e que tem me dado muito trabalho, como qualquer filho dá, nem mais, nem menos do que o esperado.

Diante de todos estes acontecimentos, muito de mim mesma se perdeu pelo caminho, muito daquela menina que tinha tempo, deixou de existir, e que fique claro, parte deste processo foi por escolha própria, por opção minha e por erro (ou acerto) meu.

Priorizei neste 1º ano, tudo aquilo que me era mais valioso e tudo aquilo que eu podia fazer junto dos meus, fiquei a cada segundo ao lado do meu marido e da minha filha, deixei de fazer muitas coisas que eu precisava e queria para não perder algumas horinhas com eles, e como foi bom… Como é bom poder dizer que eu participei de cada conquista dela, apesar de trabalhar uma longa jornada e ainda precisar realizar todas as tarefas domésticas inerentes à minha condição. Eu venci! Mato 1, 2,3 leões por dia, mas consigo todos os dias acordar minha filha com sorrisos e fazê-la dormir abraçadinha comigo.

Mas… 1 ano já passou…. Está na hora de retomar algumas questões que ficaram para trás, organizar a vida financeira, voltar a ser aquela esposa dedicada, voltar a cuidar de mim mesma…  Não é fácil ter que abandonar algumas metas por outras que não são exclusivamente nossas, mas é preciso!

Hoje eu vou à uma loja – de qualquer coisa, e não penso em nada que eu pudesse ou desejasse comprar para mim, tudo o que me interessa é para minha casa e minha filha. Que louco ser mãe! A maternidade de fato nos abraça e envolve irremediavelmente.

Voltar para a academia? Não! Melhor esperar a Ma-má fazer três aninhos, daí enquanto eu malho ela faz aulas de alguma coisa que goste. ERRADO! Porque não deixar que ela tenha alguns ótimos momentos só com o papai enquanto os 3 anos não chegam e a mamãe vai malhar?!

Perder 2 horas no salão de cabeleireiro, cuidando de mim? Para que?! Já sou casada, a prioridade é não descolar nem um mísero minutinho da minha gostosinha. ERRADO! Ela será muito mais feliz se tiver uma mãe de quem sinta orgulho e possa se espelhar.

Não é fácil me conscientizar de todas estas mudanças que aconteceram e entender que outras novas mudanças precisam vir, para o bem de todos a quem eu amo, incluindo eu mesma.

Nada disso é futilidade, embora pareça em grande parte, mas conciliar todos os papéis que me pertencem, por muitas vezes parece impossível e são tantos que acabo sempre deixando algum de lado…

Então revi algumas metas egoístas para não me esquecer de trabalhar um pouquinho por mim também e não só pelo Fabio, Marina e pai.

– Entrar na faculdade de arquitetura;

– Voltar para a academia ( emagrecer é obvio)

– Perder pelo menos 1 vez por semana um tempinho fazendo qualquer coisa que eu goste.

– Ler muitos livros outra vez.

– Andar com roupas 100% limpas sem babas ou regorgitos de bebê.

– Namorar com meu amor, fazer jantares românticos e levá-lo ao cinema pelo menos uma vez por mês.

Será que consigo?! 😦

Vamos em frente!

Anúncios
 

A importância que temos e nos damos! abril 9, 2011

Filed under: Uncategorized — Manu Parise @ 10:36 am

Estive pensando, quanto somos importantes para as pessoas e quanto as pessoas são indiferentes a nós???

Às vezes achamos que algumas pessoas nos odeiam ou que estão incomodadas com nossa presença, e no entanto, em uma analise mais fria, estas pessoas sequer sabem da nossa existencia, sequer reparam que existimos ou que estamos ali presentes…. Então neste caso, quem incute o ódio?!

Somos nós mesmos que criamos as inimizades e maus relacionamentos, somos nós que criamos as amizades e o bem estar….

Quantos de nós somos insuportavelmente arrogantes e até agressivos e ofensivos com as pessoas? Quantos de nós ofendemos até aquelas pessoas a quem amamos? Será que o erro neste caso, não seria nosso?! Será que o afastamento das pessoas não é resultado do que fazemos a elas? Será que não é reflexo daquilo que oferecemos?

Afinal toda ação tem uma reação e quando agimos com agressividade encontramos agressividade! Então estou começando um novo exercício em minha vida a partir de hoje. Vou apenas agir em paz com as pessoas… Quero que meu filho venha em um ambiente de amor e felicidade… Sem agressões ou ofensas… Todos nós deveríamos iniciar um exercício deste tipo…

Indo para o ultrassom dos rins…. 😦

 

O momento mais feliz da minha vida… Meu filhote a caminho… abril 8, 2011

Filed under: Uncategorized — Manu Parise @ 10:52 am

Dia 26/12/2010, após alguns dias de atraso, fiz o teste de gravidez e o resultado foi positivo… CHOQUE! Ficamos todos muito felizes é claro, mas também meio perdidos, talvez sem saber muito bem como lidar com tudo o que viria….

Após umas 2 semanas assim que comecei a contar para as pessoas e comecei a ver as reações parece que a ficha foi caindo e tanto eu quanto o Fabio fomos envolvidos por uma felicidade sem precedentes… Já nos transformamos imediatamente nas duas maiores e mais fortes corujas desse universo.. rs rs….

Dia 18/02/2011 – Fomos à primeira consulta com o obstetra, Dr. Reginaldo e ele nos pediu uma série de exames e nos deu uma série de orientações e informações sobre todos os procedimentos dos próximos meses, como o Fabio tem sido um pai hiper presente, fez questão de estar junto nesta consulta para conhecer todos os detalhes e confesso que ele saiu um pouco desapontado por não ter escutado o coraçãozinho do bebê…. Neste momento estávamos “discutindo”, pois ele tinha certeza que era uma menina e eu certeza que era um menino, mas o que viesse ficaríamos felizes….

Dia 18/03 fizemos o 1º ultrassom morfológico no Laboratório Delboni, um dia antes ao me ligarem para confirmar, a moço do laboratório comentou que seria bom que eu comesse chocolate ou doce antes do exame pois isso deixaria o bebe mais agitado e ele iria se mexer bastante… Ok fomos ao exame, e eu munida de uma barra de chocolate na bolsa…

Ridículo eu na sala de espera com o Fabio, 8 horas da manhã me entupindo de chocolate só para ver esse bebezinho se mexendo e quando a médica ligou o ultrassom, ele estava lá deitadão, todo folgado no maior marasmo… Até a médica se impressionou, chegou a fazer todas as medicas 4 vezes e conseguiu fazer o exame completo e bem criterioso em cerca de 15 minutos, o que segundo ela demora até 40 minutos para conseguir, pois eles se mexem muito nesta fase…. E ainda no final, quando já estava terminando o ultrassom ele nos deu um tchauzinho bem nítido….

O mais maravilhoso é que pudemos ver todos os dedinhos dos pés e das mãos, o rosto, a coluna, cada detalhe desse serzinho… A maior emoção e a médica ainda deu um chute de 60% de chance de ser menino, mas que nunca errou um diagnóstico…. Eu tenho certeza que ela acertou….

Mas dizem que palpite de mãe não vale muita coisa!!!! Hehehe….

Segue fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Apresento-lhes Scarlett!

Filed under: Uncategorized — Manu Parise @ 10:15 am

Eis que surge em minha vida esta criaturinha incrível por quem me apaixono todos os dias e que hoje não saberia viver sem…. Minha alegria todos os dias de manhã, quando me enche de beijinhos para me acordar e qdo faz aquela bagunça por todo o quintal….

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Estado de espera… março 30, 2010

Filed under: Uncategorized — Manu Parise @ 9:55 am
Tags:

“Nossas vidas começam a morrer no dia em que calamos coisas que são verdadeiramente importantes”. – Martin Luther King

Será que algo ficou por dizer?

Um dia li em algum livro ou revista que almas gemeas existiam sim, que erroneamente eram interpretadas como romance e relações de homem / mulher, hoje tenho certeza que essa afirmação estava correta. Minha Alma Gêmea sempre foi minha mãe, sempre fomos a mesma coisa, nunca houve entre nós qualquer divisão. Sabe aquela sensação que procuramos a vida inteira de encontrar alguém que complete nossas frases, que diga o mesmo que nós ao mesmo tempo? Pois com a minha mãe sempre foi assim!

Bastava um olhar e tudo já estava dito, tudo era compreendido!

Tão dificil olhar e não encontrar aqueles olhos marejados e brilhantes, carregados de sabedoria me olhando de volta como se dissesse: “Ok! Não diga nada! Eu já sei! Vai passar!”

Nunca houve separação entre o que eu sou e o que ela é, somos iguais, a mesma coisa, eu sempre fui sua continuação, ela minha mãe, eu filha dela, ela minha filha, eu mãe dela! Amigas! Cumplices! Colegas de Trabalho! Caçadoras de Aventuras! Viajantes!

Como rimos! Como choramos! Como brigamos! Quantas vezes ouvi reclamações sobre os piercings, sobre pensamentos de fazer uma tatuagem, sobre as roupas amassadas, sobre minha falta de organização, sobre o computador dela que quebrava, palmadas na bunda então, incontáveis, quantas vezes a deixei sem dormir com minhas dores de garganta, com minhas baladas.

Quando sofri o acidente só pensava em ir para casa e correr para o colo da minha mãe…. E agora, não posso nem chegar perto! Nem dizer nada, nem palavras de conforto…

Rezar… É só o que posso! Esperar que ela mesmo dentro de sua subconsciencia, encontre mais uma vez em mim, as forças de que precisa para sobreviver! Que sinta mais uma vez a minha presença constante ao seu  lado e que some isso em sua melhora…

E que eu possa novamente ver aquele olhar… e as caretas de pouco caso… E que eu possa mordê-la e apertá-la só para vê-la me mandando sair!

Se eu pudesse trocaria sem sofrer de lugar com ela!  Ela sempre foi mais importante para o mundo que eu!

 

Por mais dias de sol! fevereiro 26, 2010

Filed under: Cotidiano,Uncategorized — Manu Parise @ 1:01 am
Tags: , , , , , ,

Será que sou só eu que tenho a impressão de que o tempo está voando?!?!

Nossa! Parece que foi ontem que o ano começou, parece que acabei de chegar das férias, não fosse o já tão conhecido cansaço, até acharia que estou ficando doida, mas realmente, mais um mês do ano de 2010 acabou! Já são 2! Tantas coisas a fazer e tão pouco tempo…

Existem dias e dias e tenho certeza que Albert Einstein, estava em um desses momentos de incredulidade quando teorizou que o TEMPO É RELATIVO, para nos mostrar a não existencia de tempo absoluto para todo e qualquer referencial.

Já repararam como o tempo passa rápido quando temos milhares de tarefas a realizar ou quando estamos nos divertindo e, lento quando não há nada para fazer ou quando é chata a tarefa?! Por que não o inverso?! Eu chego da academia, tomo banho, deito na minha cama para ver um filme ou uma série e é como se viesse alguém e desse com um taco de baseball na minha cabeça, durmo na hora, apago, nem lembro o q tinha que fazer, não acordo nem se derrubarem o prédio. Mas como explicar que posso passar tranquilamente a noite todinha acordada e ainda ir trabalhar cedo no dia seguinte, se estiver me divertindo?!

É óbvio, depende do interesse na atividade, companhia ou seja lá o que for…

Como são bons esses dias em que o tempo voa prazerosamente, dias que mesmo chuvosos, são de sol, preenchem nossa alma de calor, de alegrias… Como é bom tirar o pé da cama de manhã tendo a certeza de que será um bom dia e nada que aconteça nos fará mudar essa impressão… Por mais que tentem, em alguns dias nada nos atinge, nada nos irrita ou atrapalha… é incrível!!!

Hoje eu acordei assim… Ensolarada! Motivo? Hmmm deixe-me pensar…

TODOS! Estou viva, saudável, gosto de mim mesma, sou auto-crítica e verdadeira comigo mesma, tenho um emprego – que embora não seja o melhor do mundo – me dá tranquilidade, tenho pais e uma irmã que eu amo com todas as minhas forças e por quem sou capaz de qualquer coisa, tenho amigos que são SENSACIONAIS… Por que não sorrir?

Falta de grana? E daí?! Existem tantas coisas BOAS para fazer que nem exigem muito dinheiro…

Falta de namorado? WTF! Isso não é realmente um enorme problema não é? Levemos em consideração as tais escolhas individuais…

Aqueles kilos a mais?! Que se dane! Sou feliz assim, me sinto gostada, satisfeita com minha personalidade e com todo o resto…

Mudaria algo? Claro! Todo mundo sempre tem algo que mudaria! Se eu falar o que, alguns amigos me enforcam… rs rs… Mas enfim, mudar nunca é negativo, pode ser construtivo, pode ser mais do que inteligente!

Quem é fanático pela internet levanta a mão!  Mas alguém além de mim já sentiu a sensação de arrancar um sorriso orgulhoso da pessoa do outro lado do micro? Como é bom receber aquela resposta contida, que exala felicidade e satisfação! Como é bom saber que o que pensamos ou desejamos, faz alguém feliz do outro lado… Que alguém dá valor aos nossos pensamentos e a todo o resto! Quero mais dias de sol como este, mais dias nos quais tudo nos faz felizes, em que todos os momentos são carregados de cores! Como é bom saber que possuimos as pessoas por inteiro e igualmente as rédeas das nossas vidas!

Estou lançando o movimento intimista por mais dias de sol!

[Ouvindo: Lenine – Jack soul Brasileiro]

 

Esperança fevereiro 10, 2010

Filed under: Desejos,Uncategorized — Manu Parise @ 6:41 pm
Tags: , , , , ,

“Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…”

Esperança – Mario Quintana (“Nova Antologia Poética“)

Como saber o que esperar das pessoas para não nos decepcionarmos?

Ou seria melhor não esperar? Mas como não esperar, se amamos as pessoas?

Talvez o certo fosse não esperar demais, esperar somente aquilo que já conhecemos das pessoas, para que ao realizarem um ato inesperado, isso nos surpreenda e nos encante…

Mas como não desejar uma determinada atitude ou reação de alguem que amamos? Alguns de nós tem a forte tendencia de amar a todos indistintamente e almejar o infinito, mas somos apenas humanos e cometemos inúmeros erros pelo caminho, erros muitas vezes irreparáveis que nos fazem decepcionar os que nos amam.

Todos nós em algum momento da vida nos sentimos decepcionados por esperar de alguém mais do que esse alguém podia nos dar, todos nós decepcionamos alguém que esperava de nós algo que não podíamos dar mesmo nos esforçando…

Aprendi que devemos amar as pessoas como são, sem tentar mudá-las, aceitando seus defeitos e valorizando suas qualidades, devemos ter esperança de conseguir dar e receber o melhor das pessoas que amamos, o melhor que possam dar dentro de suas possibilidades. Procuro não me ofender ou me magoar com as pequenas coisas, mas buscar os momentos de felicidade mesmo que principalmente do passado.

Às vezes nos surpreendemos com uma atitude inesperada, pensando nessa atitude de uma maneira negativa e dispendendo um olhar mais profundo, começamos a observar nosso pessimismo, sempre tendemos para o lado negativo das coisas, mesmo que inconscientemente…

Muitas vezes existe uma resposta despretenciosa que interpretamos mal, alguma suposição que as pessoas fazem sobre nosso comportamente óbvio e nos deixa magoados, às vezes um convite feito da forma errada, uma palavra mal colocada em meio à uma frase, um sentimento escondido que acabam interferindo na relação das pessoas ao ponto de destruir uma amizade, um grande amor…

Talvez se fossemos mais sutís, se fossemos mais tolerantes e permissivos com os que amamos, não acabariamos sofrendo as grandes decepções, por que não amar alguém normal, sem torna-lo (a) um deus (a)?

Por que não paramos de ser preconceituosos? Todos nós somos feitos da mesma matéria, todos transpiramos, respiramos, vamos ao banheiro, comemos, todos nós ficamos em situações constrangedoras ao longo da vida, no meu caso com certa frequencia…

Eu acredito nesse tipo de amor, um amor consciente e sereno que não nos torna cegos e burros, um amor que sublima as diferenças e até as torna interessantes, como é bom se sentir amado sem restrições, saber que desse jeito ou daquele aquela pessoa te olha com carinho, não importa se a roupa não é de grife ou se o cabelo está desarrumado.

Tenho muita esperança de um dia poder ser objeto desse tipo de amor!

Tenho muita esperança de não me decepcionar com mais ninguém nessa vida! (O que é impossível)

Tenho muita esperança de poder seguir em frente aceitando a mim mesma e aos que amo, como são, sem por e nem tirar nada!

Kisses